PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Vendedor se passa por mulher e joga óleo quente em jovem

Cotidiano

26 de novembro de 2021 15:25

Da Redação


Relacionadas

Senai abre matrículas para cursos técnicos

DAF bate recorde de vendas com 5,6 mil emplacamentos

‘BBB do Alto Boqueirão’ revela câmeras para vigiar policiais

Instalação de antisséptico em banheiros públicos é lei no PR
Ensino domiciliar no Paraná será normatizado em fevereiro
Governo vai investir R$ 1,1 bi em obras rodoviárias no Paraná
Holambra arrecada 7 toneladas de feijão para hospitais
A vítima teve queimaduras no rosto, no ombro e no peito; o suspeito deverá responder por tentativa de homicídio, ameaça, coação de testemunha, estelionato e dano Foto: Reprodução R7
PUBLICIDADE

A vítima teve queimaduras no rosto, no ombro e no peito; o suspeito deverá responder por tentativa de homicídio, ameaça, coação de testemunha, estelionato e dano

Um homem que vendia planos de saúde é suspeito de usar um perfil falso em um aplicativo de relacionamentos para marcar um encontro com um jovem de 22 anos e jogar óleo quente nele. Ele foi preso na quarta-feira (24).

O caso aconteceu em outubro deste ano, em Belo Horizonte (MG). Conforme a reportagem, Matheus de Souza Ornelas, de 25 anos, teria se passado por uma mulher chamada “Juliana” com uma conta falsa para chamar a atenção de homens em um possível relacionamento. A vítima, que foi enganada, trocou mensagens com ele por cerca de três meses, de acordo com a Polícia Civil.

O jovem teria achado suspeito a suposta mulher não conversar por áudio ou vídeo, mas “ela” alegava que vinha de uma família muito rígida e que a vigiava constantemente.

No dia do crime, segundo a Polícia Civil, o suspeito ligou para a vítima e pediu que o ajudasse em uma mudança. Lá, a vítima foi surpreendida com a confissão de que ele era “Juliana”.

O rapaz já passou por duas cirurgias após ter queimaduras no rosto, nos ombros e no peito. Já o suspeito poderá responder por tentativa de homicídio, ameaça, coação de testemunha, estelionato e dano.

Com informações do Ricmais.

PUBLICIDADE

Recomendados